Loading...
Aprender a usar o Google Ads (antigo AdWords) de maneira correta é essencial para que cada centavo investido traga um retorno satisfatório, caso contrário, sua empresa estará apenas dando dinheiro ao Google, sem obter resultados.
Ao identificarmos esse cenário, fomos atrás dos melhores sites e blogs e separamos os 10 erros mais comuns ao se criar e gerenciar uma campanha no Google Ads. Pegue um café e confira essa postagem que fizemos especialmente para você!

1. Não utilizar as extensões de anúncio

Citado em 46,88% dos blogposts

O Google Ads oferece diversas extensões que podem (e devem) ser utilizadas em seus anúncios. Selecionar as extensões certas e configurá-las da maneira correta é uma ótima maneira de aumentar a sua taxa de cliques (CTR).

Atualmente, existem as seguintes extensões disponíveis:

  • Sitelink
  • Frase de destaque
  • Snippets estruturados
  • Chamadas
  • Mensagens
  • Local
  • Local de afiliados
  • Preço
  • Aplicativo
  • Comentário
  • Promoção

Por meio delas, você poderá destacar algumas informações relevantes sobre a sua empresa para chamar a atenção do usuário sem tem que pagar a mais por isso.

Contudo, ao optar por sua utilização, é preciso ter muita atenção nas informações que serão inseridas, pois se elas estiverem incorretas, toda a estratégia será comprometida e os resultados podem não vir.

2. Esquecer de adicionar palavras-chave negativas

Citado em 40,63% dos blogposts

Palavras-chave negativas são tão importantes para uma campanha no Google Ads quanto as positivas. Imaginemos que sua empresa trabalhe com a confecção de brindes para eventos e você tenha escolhido a PC “brindes para eventos”.

Quando um usuário procurar por esse termo no Google, certamente sua empresa aparecerá, contudo, se outra pessoa buscar por “brindes para eventos gratuitos”, você também aparecerá, só que você não trabalha com brindes gratuitos.

Se você adicionar PCs negativas como “grátis”, “gratuito”, “free” e suas variações, você só aparecerá se o usuário não utilizá-las, desse modo, sua campanha trará um trafego mais qualificado, com uma audiência que tem o interesse compatível ao perfil da persona.

3. Focar nas palavras-chave erradas

Citado em 37,5% dos blogposts

Ao usar o Google Ads, é preciso realizar uma profunda pesquisa de palavras-chave para garantir que as escolhidas para sua campanha correspondam aos termos buscados por seus clientes. Infelizmente, é muito comum encontrar campanhas que focam em PCs erradas ou de baixa relevância.

Entender como o usuário pesquisa é fundamental e, para isso, existem algumas ferramentas que podem auxiliar nesse processo, como o Google Ads Keyword Planner, o Ubersuggest e o SEMRush que, além das PCs, indica quais os seus concorrentes estão utilizando.

Além de uma boa escolha de palavras-chave, opte por termos de cauda longa (longtail terms), que são muito mais específicos e, apesar de terem um volume de busca menor, geram um tráfego mais qualificado para o seu site.

4. Deixar de otimizar as campanhas

Citado em 28,13% dos blogposts

Sabemos que todos temos uma vida corrida, contudo, não é difícil encontrar campanhas que foram criadas há mais de 5 meses e nunca receberam nenhum tipo atualização ou otimização para melhorar os resultados. O custo de uma determinada PC varia frequentemente, logo, ajustes de lance são necessários.

Outro fator que muda com frequência é o volume de busca de uma palavra-chave. O que é relevante e gera tráfego hoje, pode não ser interessante amanhã, por isso, é preciso ajustar e otimizar as campanhas de Google Ads periodicamente.

5. Não investir no próprio nome

Citado em 28,13% dos blogposts

Se você acredita que inserir o nome de sua empresa entre as palavras-chave de um anúncio é besteira pois você já tem isso por meio de tráfego orgânico, saiba que você está enganado! A primeira razão, é simples: ter dois links direcionando para a sua empresa é melhor do que um.

A segunda razão é que, apesar de não ser uma prática recomendada e bem-vista pelo Google, muitas empresas usam o nome de seus concorrentes para aparecer nas buscas. Agora, imagine o usuário buscar por sua empresa e aparecer o seu concorrente! Não deixe que isso aconteça.

6. Fazer a correspondência de palavras-chave errada  – Citado em 28,13% dos blogposts

Citado em 28,13% dos blogposts

Configurar a correspondência para cada palavra-chave ajuda no controle do grau de relação entre ela e o termo de pesquisa de um usuário para fazer com que seu anúncio apareça.

Você pode utilizar a correspondência ampla, de frase, exata ou negativa. Cada uma delas possui um objetivo específico e colaboram para o desempenho da campanha de maneira distinta. Por essa razão, escolher a que melhor se encaixa às suas necessidades é fundamental.

Se você não especificar uma opção de correspondência específica, o Google considerará as palavras-chave como de correspondência ampla.

7. Utilizar a programação de horários de maneira errada

Citado em 18,75% dos blogposts

De que adianta veicular os anúncios de sua empresa, com uma extensão de contato, em horários em que ela está fechada? Se isso está ocorrendo, saiba que você está apenas desperdiçando verba!

Ajuste os dias e horários para seus anúncios de acordo com o funcionamento de sua empresa e com o perfil do seu público. Anúncios que levem a uma página de orçamento, por exemplo, não tem sentido rodar durante o final de semana, não é mesmo?

8. Ignorar a relevância da geolocalização

Citado em 18,75% dos blogposts

Segmentar a localização da audiência é fundamental para que o anúncio chegue ao público correto. Para exemplificar, imagine que você trabalha em São Paulo com a venda de materiais de construção básicos.

Aparecer para pessoas no Amazonas não faz sentido e te faz desperdiçar verba, pois é quase impossível que uma pessoa de lá realize uma compra. Para acertar na segmentação geográfica de seu anúncio é preciso conhecer o perfil demográfico de seu público.

9. Não direcionar para uma landing page relevante

Citado em 18,75% dos blogposts

Um dos elementos que o Google leva em consideração no leilão de palavra-chave é a relevância da página de destino do anúncio. Muitas empresas criam diversos anúncios direcionando para a página inicial de seu site, contudo, o anúncio era sobre um produto específico.

Quando isso acontece, a experiência do usuário fica comprometida, gerando uma taxa de abandono alta e, consequentemente, elevando o valor do custo por clique. Seja específico e direcione o usuário para um endereço que seja relacionado ao que o anúncio propõe.

10. Direcionar para URLs com erros

Citado em 15,63% dos blogposts

O pior erro que se pode cometer é prestar atenção em todos os itens anteriores e, no final de tudo, direcionar para uma URL com erro ou inexistente. A atenção a esse ponto é essencial para que você consiga colher bons resultados em suas campanhas.

Como vimos, existem diversos erros que pode ser cometidos ao usar o Google Ads para criar campanhas de publicidade paga. E esses são apenas alguns deles!

Quer aprender mais sobre os erros mais comuns em campanhas no Google Ads? Preencha o formulário e receba uma lista completa de blogposts com esses – e muitos outros – erros e suas soluções!

By |2019-01-07T18:14:23+00:00setembro 21st, 2018|Sem categoria|0 Comentários
os-10-erros-mais-citados-pelos-especialistas-em-adwords